Equipe da UERJ participa de viagem inaugural de navio de pesquisa

Seis pesquisadores da Faculdade de Oceanografia da UERJ estão participando da 1ª comissão do novo Navio de Pesquisa Hidroceanográfico Vital de Oliveira (H-39), cruzeiro oceanográfico que inicou-se no dia 27 de junho a Cidade do Cabo, na África do Sul, e está atravessando o Oceano Atlântico, com destino à cidade de Arraial do Cabo, no estado do Rio de Janeiro. O cruzeiro foi incorporado à Marinha do Brasil em março deste ano como resultado de uma cooperação entre a Marinha, o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, a Petrobras e a Vale.

 

Participam desse cruzeiro histórico para a área de Oceanografia no Brasil 18 pesquisadores brasileiros de quatro instituições de pesquisa e ensino superior: cinco dele são da Universidade Federal de Rio Grande; cinco do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial; e  dois da Universidade Federal de Pernambuco, além dos seis da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. O chefe científico da comissão é o Prof. Moacyr Araujo, do Departamento de Oceanografia da UFPE. 

 

Durante o cruzeiro oceanográfico serão estudadas estruturas oceânicas de meso-escala conhecidas como vórtices das Agulhas. Estes vórtices anticiclônicos são formados na retroflexão da Corrente das Agulhas (do Oceano Índico)  e deslocam-se em direção ao oeste até a plataforma continental leste brasileira. Ao longo da sua trajetória, os vórtices transportam águas mais quentes e mais salinas (assim como organismos planctônicos) vindas do Oceano Índico para o Oceano Atlântico. Esse processo é um dos responsáveis pela regulação da circulação oceânica no Atlântico e interfere no clima e nos fluxos de dióxido de carbono (CO2) entre o oceano e a atmosfera na região. 

 

O objetivo da comissão, é de obter um panorama das interações oceano-atmosfera e entre processos físicos, químicos e biológicos dentro destas estruturas de meso-escala no Oceano Atlântico. O plano de amostragens foi resultado de uma intensa troca de informações entre os cientistas de todas as instituições envolvidas. A experiência é uma oportunidade única de estudo e aprendizado para os professores, técnicos e alunos da Faculdade de Oceanografia da UERJ nesse projeto científico que contou com o apoio logístico do MCTI, do Ministério das Relações Exteriores, do CENPES/Petrobras e da empresa PROOCEANO.

 

A comunidade oceanográfica brasileira está eufórica com a oportunidade do trabalho que será feito pela faculdade de Oceanografia da UERJ! 

 

Fonte: matéria retirada do site da UERJ, http://www.uerj.br/lendo_noticia.php?id=871