Professor Sérgio Nogueira aponta os 10 erros de português mais frequentes

O professor Sérgio Nogueira reuniu 20 palavras que vê constantemente com erros. Dez delas são mais frequentes, e as outras dez são erros que ele considera imperdoáveis.
 
As dez palavras escritas erradas com mais frequência são:
 
  1. Asterístico – cuja forma certa é asterisco, pois significa “pequeno áster”, assim como o “chuvisco” é o diminutivo de chuva.
  2. Beneficiente – a forma correta é “beneficente”, pois a palavra não deriva de “ciência”, e sim de “fazer o bem”.
  3. Desinteria – o correto é “disenteria”. O prefixo “dis” significa “mau funcionamento”, e “entero” significa intestino.
  4. Impecilho – o certo é "empecilho". Não vem do verbo “impedir”, e sim do arcaico “empecer”, que é “criar obstáculo”.
  5. Freiada – não se deve colocar o “i”, apesar da palavra pertencer à família da palavra “freio”.
  6. Meretíssimo – vem de mérito, então o correto é “meritíssimo”
  7. Reinvindicação – o correto é “reivindicação”.
  8. Paralização – deve-se usar S em vez de Z, assim como nas palavras “paralisar” e “analisar”
  9. Côco – não se deve acentuar essa palavra, e sim a oxítona “cocô”.
  10. Rúbrica – a escrita correta é sem o acento, pois a sílaba tônica é “bri”.
 
Os erros que o professor considera imperdoáveis são:
 
  1. Depedração – o correto é “depredação”.
  2. Estrupo – a grafia correta é “estupro”.
  3. Mortandela – não há N nessa palavra.
  4. Mendingo – também não há N em “mendigo”.
  5. Adevogado – não há E, muito menos I, alerta o professor.
  6. Seje – o correto é “seja”.
  7. Mixto – o X está errado. A forma correta é “misto”
  8. Simplismente – o professor culpa a pronúncia da palavra, pois apesar de ser escrita com E, ela é falada com I por muitas pessoas.
  9. Previlégio – “as pessoas acham que estão falando bonito, quando é ‘privilégio’”, alerta o professor.
  10. Derrepente – o correto é separar (“de repente”). Além disso, o professor vê o sentido ser trocado. Em vez de “repentinamente”, pessoas usam “de repente” como um sinônimo para “talvez”, como na construção “de repente ele é a favor”.

 

Fonte: Matéria retirada do site Globo News, http://g1.globo.com/globo-news/noticia/2015/07/professor-sergio-nogueira-aponta-10-erros-de-portugues-frequentes.html?utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=gnews